Fórmula 1

Hamilton, Senna e Montreal – Quando a fera encara o mito

Lewis Hamilton iguala o número de poles de Senna, ganha capacete do ídolo e vive um conto de fadas no Canadá

Autor: Daniel Dias (www.diasaovolante.com)
Fotos: Divulgação

Lewis Hamilton Fórmula 1
12/06/2017, 23:43:46

O inglês Lewis Hamilton mostrou no GP do Canadá de Fórmula 1, disputado no último fim de semana, o mais preciso significado da palavra reverência. No caso, ao seu ídolo Ayrton Senna.
Uma coisa é alguém falar sobre suas referências, outra, é mostrar em ações, na prática! No sábado, Hamilton levou a melhor na dura batalha com o alemão Sebastian Vettel pela pole position da sétima etapa do campeonato. De surpresa, a direção da prova de Montreal levou o tricampeão para junto às principais arquibancadas do circuito Gilles Villeneuve, com mais de 15 mil torcedores.
Quando chegou lá, Hamilton recebeu um troféu por ter igualado as 65 poles de Senna: a réplica do capacete utilizado pelo brasileiro morto em 1994, das mãos da família do brasileiro também tricampeão do mundo. Ao ver o presente, Hamilton ficou literalmente sem palavras. Depois, com lágrimas escorrendo sobre o rosto, disse que gostaria de saber falar português para externar tudo o que estava sentindo.
A emoção cresceu no circuito e Hamilton, não se desligando um só momento do capacete/troféu, posou para os fotógrafos e foi para dentro do motorhome da Mercedes. Lá, após um bom tempo, postou na sua conta do Facebook uma foto dele olhando para o capacete com a frase, agora, em português: “Longa vida para o legado do Ayrton. Para sempre, o melhor!”
O fim de semana de conto de fadas de Hamilton – justamente na etapa em que o inglês precisava reagir na luta pelo título ante o rival Vettel – continuou no domingo. Como se fosse guiado pelo ídolo, largou da pole e partiu decisivo para garantir a primeira posição, bem ao contrário do que normalmente faz, pois a largada é um Tendão de Aquiles do piloto inglês, e foi embora, deixando que os concorrentes ficassem “discutindo” pelas colocações secundárias.
Ao final de pouco mais de uma hora e meia de prova, Hamilton tinha se recuperado no campeonato, ainda liderado por Vettel, completando o chamado hat-trick – quando um piloto faz a pole position, a melhor volta na corrida e vence. Para completar, Hamilton cruzou a linha de chegada e pegou a bandeira da Grã-Bretanha que tinha carregado no bolso do macacão e fez toda a volta da consagração repetindo o famoso gesto imortalizado por Ayrton Senna.
Antes mesmo de estrear na Formula-1, em 2007, Hamilton já falava que Senna era seu ídolo e inspiração. Até a cor de seu próprio capacete, o amarelo, ficou por conta do imaginário. Uns dizem que fora escolhida para que seu pai, Anthony, pudesse visualizar o filho na pista mais rapidamente, outros, que era simplesmente em homenagem ao ídolo. Seja como for, Hamilton promoveu um concurso no começo deste ano para que os fãs sugerissem o novo visual de seu capacete: ganhou a proposta de um brasileiro, com a estilização do usado por Senna.
Com tudo isto, Hamilton, ao seu jeito, recolocou o Brasil no topo do pódio, apesar de a bandeira que estava lá era a da Grã-Bretanha.

 

Lewis Hamilton Fórmula 1

 

Confira a página de “Dias ao Volante.Carros” no Facebook, em www.facebook.com/DiasaoVolante.Carros

 

E veja também:

 

Fórmula 1 – Hamilton, Piquet e a arte perdida de acertar carros

COMENTÁRIOS