Automobilismo

Fórmula Indy X Fórmula 1 – Muito além do jardim de Mônaco

Ultrapassando a condição de principal promotor das 500 Milhas deste ano, Fernando Alonso brilha em Indianápolis e pode reescrever a história do automobilismo

Autor: Daniel Dias (www.diasaovolante.com)
Fotos: Divulgação

24/05/2017, 0:10:07

Quando Fernando Alonso anunciou sua presença nas 500 Milhas de Indianápolis deste ano, não poderia prever a enorme repercussão que seu gesto teria nos EUA, terra historicamente avessa à Fórmula-1. Na semana passada, nos treinos e nas sessões classificatórias realizadas no superoval mais famoso do planeta, o bicampeão da categoria máxima do automobilismo viveu a condição de estrela em todas as dependências do lugar chamado muito apropriadamente de Capital da Velocidade.
Mais: a participação do “Príncipe das Astúrias” na 500 Milhas, inicialmente apenas um golpe de mestre do espanhol para se autopromover em um momento de baixa na problemática McLaren/Honda na F-1, se tornou maior. Comprovando ser um dos maiores pilotos em todos os tempos, Alonso mostrou um desempenho impressionante em poucos dias de adaptação.
No Pole Day, no último domingo, o pupilo do brasileiro Gil de Ferran – bicampeão da Indy (2000 e 2001) e vencedor das 500 Milhas em 2003 -, escalado para ser o orientador do espanhol nos segredos do speedway, foi o quinto colocado e largará na segunda fila no próximo domingo, com uma performance muito próxima à do neozelandês Scott Dixon, o pole da prova e um “macaco velho” nas 500 Milhas. Com isto, Don Fernando das Astúrias – região aonde nasceu – deixou o autódromo literalmente de queixo caído.
Logo após o Pole Day, as duas primeiras declarações do espanhol resumem toda sua capacidade ao volante de um bólido de competição – seja de qual categoria for – e os riscos escondidos a cada metro do traiçoeiro traçado de Indianápolis:
– Eu poderia ter ido mais rápido. Ainda estou aprendendo.
Sobre se levou algum susto no lendário circuito oval, brincou.
– Só nas quatro curvas – disse, rindo, sublinhando que o perigo é constante.
No próximo domingo, a partir das 13h para os brasileiros, Alonso será o único responsável por tirar o foco primordial da etapa mais charmosa da F-1, marcada para o mesmo dia. Desta vez, a corrida nas ruas do principado de Mônaco não dominará o noticiário do mundo do automobilismo.
Apesar de ter o maior salário do circo, o espanhol tem o cacife suficientemente grande para abandonar a equipe McLaren e ir se aventurar nas terras do Tio Sam. O feito de Alonso é inédito. Nos tempos modernos, jamais um piloto saiu diretamente do campeonato da F-1 para as 500 Milhas de Indianápolis.
Todos os outros grandes corredores, como Emerson Fittipaldi e Mario Andretti, que foram para os EUA, tiveram a adaptação de várias provas antes de encararem as 500 Milhas. O tamanho do desafio de Alonso neste domingo talvez não possa ser medido pelo simples mortais.
E ao andar no mesmo ritmo de velhos conhecedores de Indianápolis, o “Príncipe das Astúrias” deixa bem claro que sua maior jogada não é a peça publicitária de promoção da mítica prova norte-americana em detrimento da F-1. Ele quer vencê-la! Alguém duvida que este espanhol não possa ser capaz da façanha?

Confira a página de “Dias ao Volante.Carros no Facebook
Em www.facebook.com/DiasaoVolante.Carros

COMENTÁRIOS