Esgrima

Bia Bulcão – Duelo físico e mental

A estratégia envolvida na luta com floretes fascina a jovem esgrimista paulistana

Autor: Luiz Humberto Monteiro Pereira
Fotos: Divulgação

esgrimista Bia Bulcão
19/09/2017, 0:18:10

Ana Beatriz Di Rienzo Bulcão, conhecida entre os esgrimistas brasileiros como Bia Bulcão, foi a primeira brasileira a estar entre as seis melhores do mundo no ranking mundial juvenil, em 2012/2013. Integrante da seleção brasileira desde os 16 anos, a especialista em florete participou dos Jogos Rio 2016 e é considerada pela Confederação Brasileira de Esgrima uma atleta com ótimo potencial para as Olimpíadas de 2020. Aos 23 anos, a paulistana treina no Esporte Clube Pinheiros com o técnico russo Gennady Miakotnykh, mestre de campeões olímpicos e mundiais. “São cerca de 30 horas por semana, em treinamentos técnicos, táticos, físicos. Tenho suporte nas áreas de fisioterapia – tradicional e Rolfing – e acompanhamento nutricional e psicológico” explica Bia, que mora em Cotia, na Grande São Paulo, e gosta de tocar instrumentos musicais e de passear junto à natureza. Quando questionada sobre seus objetivos no esporte, a esgrimista não titubeia. “Estou focada em me classificar para as Olimpíadas de 2020 e conquistar uma medalha inédita para o Brasil no nível mundial”, crava.

 

Esporte de Fato – Como e quando a esgrima surgiu na sua vida?

Bia Bulcão – Desde sempre, pratiquei esportes no Clube Pinheiros. Fiz a escolinha de esportes do clube, o CAD, e no final, você é indicado para algumas modalidades. Fui indicada para Atletismo e Handebol, mas eu estudava em período integral e essas modalidades não se encaixavam nos meus horários. O único esporte que poderia praticar no clube era a esgrima. Iniciei por acaso e logo me apaixonei.

 

Esporte de Fato – Quais foram seus resultados mais expressivos?

Bia Bulcão – Participei dos Jogos Olímpicos de 2016 e de dois Jogos Pan Americanos 2011 e 2015. Fui terceiro lugar no Campeonato Pan Americano por equipes em 2011 e 2017, campeã brasileira de 2014 e 2016, vice-campeã sul americana 2015 e primeiro lugar na Copa do Mundo Satélite da Dinamarca em 2014. Vou participar de todo o circuito nacional e busco apoio para poder participar do circuito internacional na temporada de 2017-2018.

 

Esporte de Fato – Em termos de técnica de esgrima, como é o florete e como se diferencia do sabre e da espada?

Bia Bulcão – A principal diferença entre as armas é que, no florete, a área válida de toque é o tronco. No sabre, a área da cintura para cima (incluindo braços e cabeça) e na espada todo o corpo. Tanto no florete quanto no sabre, existem regras de prioridades de ataque. O árbitro é quem determina a prioridade no ataque. No florete, é muito importante ter rapidez e precisão. Iniciei no florete no meu clube, pois a iniciação normalmente é nessa arma.

 

Esporte de Fato – Como vê a esgrima no Brasil hoje?

Bia Bulcão – O Brasil ampliou muito o número de praticantes nos últimos anos. Além disso, muitos atletas de alto rendimento estão fazendo resultados inéditos. Mas ainda estamos muito atrás no desenvolvimento do esporte no país. O trabalho para desenvolver a popularidade da esgrima no Brasil é longo, mas hoje já estão sendo realizadas algumas iniciativas de formação de treinadores, além de projetos de iniciação na esgrima fora de clubes privados. Com os Jogos Rio 2016, a exposição do esporte foi muito positiva. O evento mostrou a esgrima como um esporte mais atraente ao público e muitas crianças se interessaram em iniciar a prática.

 

Esporte de Fato – Você esteve nos Jogos Rio 2016 com apenas 22 anos e foi eliminada na segunda fase pela russa Inna Deriglazova, campeã mundial em 2015. O que achou de sua participação olímpica?

Bia Bulcão – Gostei muito da minha participação. Consegui uma vitória importante no primeiro combate e fiquei entre as 32 melhores do mundo. Acabei enfrentando em seguida, uma adversária muito experiente, que veio com o objetivo de vencer os Jogos Olímpicos. Consegui dar trabalho no início, mas não consegui acompanhar o ritmo devido à sua experiência e preparação para essa competição.

 

Esporte de Fato – O que diria a alguém que quisesse se iniciar na esgrima hoje?

Bia Bulcão – A esgrima é um esporte fascinante e muito difícil de aprender no início. Exige muita dedicação. O pensamento tático deve ser muito rápido e cada movimento é importante para ganhar um toque. Isso é o que mais me fascina.

COMENTÁRIOS